Anunciar no Google através do Adwords foi uma das revoluções no marketing digital dos último anos. Exibir a sua marca apenas para pessoas que procuram por termos relacionados a ela seria um devaneio há 20 anos atrás. Hoje isso não só é possível, como também podemos analisar todas as áreas clicadas, o tempo e o passo a passo do que o usuário fez dentro do seu site.

No entanto, esse novo leque de possibilidades causou um dos maiores temores econômicos da humanidade: a inflação. Palavras de forte concorrência custam valores inviáveis para muitos anunciantes. Custos por clique (CPC) acima dos R$0,70 já se encontram em uma faixa de risco para empresas de pequeno e médio porte. Admitindo-se que, no mercado brasileiro, a média de conversão varia entre 2% e 8%, investir entre R$8,75 e R$35 para apenas 1 compra ou aquisição finalizada se torna, muitas vezes, inviável. Se o produto desse exemplo custasse R$50, sua média de conversão deveria ser de no mínimo 15% para que as palavras anunciadas continuassem sendo utilizadas pela empresa em questão.

Outro agravante é o monopólio que o Google possui sobre os mecanismos de busca. Sua qualidade é indiscutível, assim como seu poder de eliminar concorrentes por meios financeiros e tecnológicos. Com o crescente número de sites interessados em seu serviço, nada mais normal que o aumento exponencial do CPC.

E qual seria a solução?

Como não podemos aumentar as palavras do dicionário, nem convencer o Google a não ganhar dinheiro, o trabalho em cima de anúncios pagos se torna extremamente estatístico. Cada grupo de palavras precisa ser minunciosamente estudado, principalmente quanto à sua taxa de conversão. Muitas vezes, desativando algumas palavras conseguimos elevar o ROI (métrica que compara o valor investido pelo valor vendido) em até 65%. Melhorar o texto dos anúncios e rejeitar sua exibição em determinadas pesquisas podem, também, tornar sua campanha mais produtiva,

Desistir do Adwords é uma hipótese a ser analisada. A busca orgânica, detentora de 70% dos cliques, pode se tornar uma alternativa aos anúncios pagos. E o principal meio de investir em resultados orgânicos é qualificar o conteúdo do seu site que, além de conquistar posições em resultados de buscas, pode se tornar referência e alvo de compartilhamento em redes sociais, diminuindo os custos com publicidade e aumentando o número de usuários interessados em acessá-lo.

Outra alternativo ao Adwords é a utilização de sites com conteúdo segmentado. Se você vende produtos esportivos, blogs sobre alimentação saudável, por exemplo, se tornam ótimas vitrines para sua empresa. Além da possibilidade de criar banners mais criativos e chamativos, esses sites fornecem estatísticas muito parecidas com do Adwords e, muitas vezes, por um custo benefício bem mais atraente.