Quem se fez esta pergunta foi Mat Honan, jornalista norte-americano que escreve para a revista WIRED, já foi repórter sênior do Gizmodo e editor da revista Macworld. Curioso, ele passou 48 horas fazendo exatamente isso, e curtiu todos os posts no Facebook.

Então, durante dois dias, Mat curtiu tudo o que apareceu no seu feed de notícias: fotos, vídeos, links e textos, tanto dos seus amigos, quanto das páginas que curtia. Em seu artigo para a WIRED, ele conta como foi o experimento.

O que acontece se eu curtir todos os posts no Facebook?

O que aconteceu depois de Hogan curtir todos os posts no Facebook:

“Meu news feed ganhou outra cara em um curto período de tempo. Depois de curtir um monte de posts durante uma hora, não havia mais seres humanos no meu feed. Em vez disso, passei a ver marcas e suas mensagens.

O conteúdo de notícias também aumentou muito. Quase todo meu feed foi dominado pelo Huffington Post e o Upworthy. Quando fui para a cama na primeira noite olhei meu news feed e vi atualizações de Huffington Post, Upworthy, Huffington Post, Upworthy, um anúncio da Levi’s, Space.com, Huffington Post, Upworthy, The Verge, Huffington Post, Space.com, Upworthy, Space.com.”

Honan ainda comparou as diferenças entre o seu feed no desktop e no smartphone depois de curtir os posts no Facebook:

“Naquela telinha pequenininha, onde o espaço é tão valioso, os robôs do Facebook decidiram que, para atrair minha atenção, devem esconder pessoas e só me mostrar o que outras máquinas acharam. Estranho.”

Como foi observado pelo Proxxima, os resultados do experimento dizem muito sobre como o Facebook funciona. É possível que apenas uma parte dos usuários realmente responda a anúncios ou a conteúdos de páginas como do Huffington Post, e por isso eles irão aparecer mais para as pessoas.

Pode ser também que os maiores “curtidores” sejam os mais sugestionáveis, e os algorítimos da rede estão prontos para tirar vantagem disso. Ou então Mark Zuckerberg apenas não pensou que alguém como Mat Hogan fosse curtir todos os posts no Facebook.

#Chatiado

Curtiu? Então leia o artigo na íntegra aqui (em inglês).