Nesta semana, o portal de notícias G1 publicou uma matéria com diversas dicas para quem tem espírito empreendedor e, mais especificamente, para quem quer ganhar dinheiro na internet e recorreu a empresários e especialistas para apontar as vantagens de trabalhar com web. Então confira algumas dicas para quem quer empreender na web.

Karina Mattos, entrevistada pelo G1, procurava um trabalho em que pudesse passar mais tempo com a filha e encontrou a solução ideal na web. Criou um e-Commerce.

“Eu não ganho mais do que ganhava na empresa que eu trabalhava. Mas eu tenho um ganho que acho que não tem preço, que é a qualidade de vida e consigo me virar. Eu ganhava mais antes, mas estou muito mais feliz”, fala Karina.

Investir no comércio eletrônico está cada vez mais comum e é, normalmente, a primeira tentativa de quem quer empreender. Homens jovens, de até 40 anos, são os mais comuns a se aventurar na área. O especialista Adriano Caetano explica:

“Muitas vezes ele tem uma carreira, mas não aquilo que ele faz na loja virtual está ligado à carreira dele – faz muitas vezes como hobby. Começa quase que como uma brincadeiras, mas na medida que se torna séria, é natural que ele queira desenvolver a empresa dele”.

O Guia do e-commerce é uma das dicas para quem quer empreender na webO Sebrae-SP lançou recentemente o Manual do e-Commerce, que você pode baixar de graça clicando aqui, explicando todos os detalhes para abrir uma loja virtual. No entanto, trabalhar com web não é simples, e requer investimento e dedicação como em qualquer outra negócio.

A lista de dicas para achar um lugar na rede inclui quatro itens imprescindíveis:

– investir numa página na internet;

– 3 cliques. Esse é o número máximo que os especialistas dizem que o cliente tem que demorar para achar o que procura, se não ele vai embora;

– garantir segurança nas formas de pagamento;

– cumprir prazos de entrega.

“Os crescimentos de faturamento de empresas virtuais são crescimentos chineses de 7%, 8% ao ano. Isso não desobriga quem vai entrar no mercado de se preparar. Da mesma maneira que muitas empresas abrem, muitas acabam fechando por não ter preparo adequado”, explica o superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano.