Um problema muito comum para quem analisa as métricas de um site é com a alta taxa de rejeição, ou bounce rate. Essa métrica calcula a porcentagem de visitas em que o usuário entrou e saiu do seu site na mesma página, sem continuar a sua navegação. Podemos diminuir a taxa de rejeição de diversas formas, de alterações no layout à organização dos conteúdos.

Saiba como diminuir a taxa de rejeição do seu site!

Antes de aplicar as nossas dicas e pensar que tudo vai melhorar automaticamente, lembre-se que todo projeto possui suas especificidades, o que pode aumentar a taxa de rejeição. Em um modelo single page, exemplo que o próprio Google dá, é natural que o bounce rate seja maior, já que o usuário não tem outras páginas para ir. Então é muito importante entender as características de cada site.

Saiba como diminuir a taxa de rejeição do seu site

1. Links de redirecionamento:

Tente identificar quais são os links que estão trazendo visitantes para o seu site. Alguns deles podem trazer visitantes que aumentam a taxa de rejeição por causa do conteúdo daquela página não ter relação com as outras do site. Assim, pode ser necessário estabelecer novas páginas de entrada para reduzir este problema.

2. Layout:

Capriche no layout do seu site! Uma página bagunçada, com links espalhados e um milhão de banners e pop-ups, que vendem de tênis até brinquedos, tendem a tirar a atenção do usuário e colaboram com o aumento da sua taxa de rejeição.

Se a pessoa já está no seu site, a parte mais complicada de otimização já passou. O “cliente potencial” já está ali. Por isso não é necessário que tudo grite e chame atenção. Defina uma hierarquia de conteúdos e conduza o seu internauta até uma página de vendas, orçamentos ou contatos.

3. Relacione artigos:

A maioria das pessoas não tem paciência de ficar fuçando e não sabem o que o seu site tem a oferecer. Então, sempre que possível, relacione os artigos para que ela continue dentro do seu site lendo cada vez mais informações. Isto aumenta o número médio de páginas por visita, além do tempo médio do usuário dentro do seu site.

4. Destaque conteúdos populares:

Conteúdos que recebem muitas visitas e comentários costumam ser chamarizes de visitantes. Por isso, crie espaços de destaque para eles em seu site e aproveite o tráfego de visitas que eles são capazes de gerar.

5. Organize seus conteúdos por assuntos:

Tanto em um blog quanto em um site institucional, liste seus conteúdos por áreas para facilitar a pesquisa dos internautas. Concentre seu universo em 10 temas ou menos para fortalecer suas palavras-chave e aumentar seu potencial de rankeamento na web.

6. Revise conteúdos com altas taxas de rejeição:

Como o Google Analytics permite que você identifique as palavras-chave que estão trazendo as maiores taxas de rejeição para a sua página, revise os conteúdos das páginas de destino destas pesquisas e verifique o que pode ser modificado para melhorar sua qualidade. Invista em gráficos, desenhos explicativos e cases para deixar o texto corrido menos cansativo.

7. Evite textos gigantescos e mal redigidos:

Procure trabalhar com textos de uma ou duas laudas. As pessoas são preguiçosas para ler e não aguentam textos redundantes. Seja conciso, prático e dê muitos exemplos. Releia seu conteúdo antes da publicação para evitar erros. Conte com uma boa equipe de redação e revisão como a daqui da BigHouseWeb.

Interessado no assunto? Talvez você possa curtir também outros posts sobre o tema, como: A importância da análise de métricas no marketing digital e Dicas para a sua página dar um “boom” de acessos. Confira!