No último post, Como você vai divulgar o site da sua empresa?, falamos sobre as diferentes formas de promover um site corporativo. Vimos algumas estratégias de marketing de conteúdo e de SEO. A partir daqui, vamos ver um pouco sobre anúncios pagos na web e como eles podem ajudar a aumentar a visibilidade do seu site e, ainda melhor, alcançar apenas quem é relevante para você. Mas, em primeiro lugar, vamos responder uma pergunta:

Porque devemos investir em anúncios pagos?

Quando falamos em anúncios pagos, estamos normalmente falando de Google Adwords e de Facebook Ads por motivos lógicos: o Google é o buscador mais utilizado do mundo; o Facebook é a rede social mais utilizada do mundo. Por isso, é normal (e sensato) que se invista nesses dois canais para aumentar a visibilidade online do seu negócio. Mas por quê?


Você pode gostar também dessa dica:
O trio perfeito para a sua empresa fazer marketing digital com baixo investimento.


 

Visibilidade

Tanto no Facebook quanto no Google, investir em anúncios aumentará as chances de você ser visto por seu público-alvo. No Adwords você irá “comprar” as palavras-chaves relacionadas ao seu negócio e, quando alguém fizer uma busca, seu negócio poderá ser exibido como resultado da pesquisa.

Visibility

No Facebook Ads, você tem diversas modalidades, como promover sua página (que aumentará as curtidas da sua fan page) ou um post específico (que aumentará o alcance da publicação escolhida). Recentemente o Facebook diminuiu o alcance orgânico das páginas, o que aumenta ainda mais a necessidade de investir em anúncios para obter resultados expressivos.

Aumento do tráfego para o seu site

Quando clicamos em um anúncio do Adwords, a pessoa será direcionada para uma página do seu site, seja sua home ou uma landing page, onde encontrará as informações que procura. No Facebook, quando promovemos um post com link para o blog (ou alguma outra página) de uma empresa, o número de visitantes também aumenta.

Segmentação do público

O Facebook Ads permite que você filtre as pessoas que vão ver os seus anúncios de diversas formas: idade, sexo, religião, gostos, se são casadas, se têm filhos, se gostam de determinado filme, música ou livro e várias outras opções que vão nos ajudar a segmentar nosso público. Essa segmentação diminuiu as probabilidades de alguém que não se interessa por seu produto ou serviço clicar em seu anúncio e, dessa forma, aumentar as suas chances de concretizar uma venda.

No Adwords não é possível segmentar tanto o seu público, mas conseguimos escolher as regiões em que seus anúncios serão exibidos, o que já diminui as chances de cliques que não possuem potencial para conversão. Vale lembrar que a filtragem já acontece através das palavras-chaves procuradas, o que quer dizer que seu site irá aparecer apenas para quem buscar aquelas keywords que você estipulou.

Quando o cliente quer consumir publicidade

inbound-marketing-overview1Na maior parte dos casos, nós somos forçados a consumir publicidade. Como quando assistimos televisão ou ouvimos rádio e o nosso programa é interrompido para os comerciais, ou quando lemos uma revista ou jornal e vemos um anúncio entre as páginas.

Nós consumimos esses anúncios de forma passiva, não há nada que possamos fazer além de esperar que ele termine. Nesses casos, a publicidade dificilmente nos impacta, dificilmente nos desperta desejo e, na verdade, nos atrapalha. Podemos chamar esse modelo de Outbound Marketing, ou marketing de saída. Ele apenas “compra” o nosso tempo.

O Inbound Marketing propõe o oposto, ou seja, que ao invés de irmos até o cliente, o cliente venha até nós. Fazer um blog com informações relevantes do seu segmento, como falamos no post anterior, é uma forma de Inbound. Este post é uma forma de Inbound. Estamos oferecendo algo em troca da atenção de vocês.

Outra forma muito efetiva de Inbound Marketing é a criação de uma newsletter para a sua empresa. O envio de news é uma ótima forma de comunicação para fomentar o relacionamento com clientes, prospect e com profissionais do seu mercado.

Ao contrário de e-mails promocionais, a newsletter não possui foco em uma oferta e pode apresentar uma abrangência maior de interesses. Você até pode, em uma das chamadas, promover o seu produto ou serviço, mas sempre deverá apresentar conteúdo de interesse para os seus assinantes. Se você tem um restaurante, por exemplo, a sua news pode ter uma chamada para um dia promocional, mas também sugestões de vinhos e acompanhamentos.

As newsletters possuem um padrão pré-estabelecido, então ela não vai ocupar muito tempo da sua pauta, já que basta inserir os conteúdos e enviá-la. Abaixo podemos ver um ótimo exemplo de newsletter.

e-mail-mkt-inbound-content-publico-alov

Até agora, com tudo o que vimos desde o último post, você já está bem municiado para promover o seu site. Nos próximos dois artigos, que vão fechar nossa série sobre sites corporativos, vamos ver a importância e como mensurar os resultados de uma campanha de marketing online.