Até agora percorremos diversas etapas para construir o site da sua empresa. Definimos público-alvo, fizemos o planejamento estratégico e o domínio do seu site já está comprado. A partir daqui o seu site vai começar a ganhar forma. Neste post vamos falar sobre web design e algumas questões técnicas, para nos ambientar no processo de desenvolvimento de um site.

O design de um site e o que ele representa

Como já falamos, estar presente na web se tornou imprescindível para qualquer empresa que deseja se manter competitiva, já que é um dos lugares onde estão os seus clientes. É essa necessidade de aproximação que faz com que uma empresa crie seu site. No entanto, ter uma página com as informações e o contato da empresa sem nenhum tipo de penso não é suficiente para alcançar bons resultados na web.

Não importa o tamanho do seu investimento em plataforma, propaganda, mídias sociais, campanhas no Adwords, segurança, logística, gestão, etc, etc, etc…

Se o design não for de qualidade, todo o resto não será suficiente

Seu site deve ser de fácil navegação

Seu site deve ser de fácil navegação

O web design vai muito além da aparência: são as cores, a disposição de elementos gráficos, arquitetura da informação, usabilidade, acessibilidade e navegabilidade. E unir todos esses elementos de uma forma harmoniosa não é fácil, por isso, voltamos a dizer: esqueça aquele seu sobrinho que sabe fazer sites. Se o seu site não tiver um design caprichado, vai sofrer preconceito dos usuários. Imagine-se em uma loja descuidada, suja e desorganizada. Por melhores que sejam os preços, não dá prazer fazer compras ali. Com um site acontece a mesma coisa.

O resultado dessa mistura bem elaborada reflete na confiança do cliente, que irá clicar mais, navegar mais, voltar sempre e quem sabe até trazer com ele aquele amigo indicado.

As lojas virtuais disputam o consumidor oferecendo-lhe oportunidades, descontos, promoções, e quem ganha a preferência é aquela que oferece a melhor experiência geral de compra. E uma boa fatia dessa experiência positiva é proporcionada pelo design. O restante é apenas plataforma.

A preocupação com o design do site de sua empresa é importantíssima, porém, existem outras coisas que devemos nos ater agora. Entender, mesmo que um pouco, o que acontece “por trás” do layout também é necessário.

Desenvolvendo o site da sua empresa

A partir daqui, vamos falar sobre aspectos mais técnicos no desenvolvimento de um site, mas de uma forma simplificada, para não apavorar ninguém.

servidor-google-site-desenvolvimentoEm primeiro lugar, você deve contratar um servidor para o seu site. Mas o que é isso? De forma simplificada, servidor é uma CPU onde ficarão salvas todas as informações do seu site – e de muitos outros. Existem algumas opções no mercado e, objetivamente, não há muita diferença de preço entre elas. Os mais utilizados são: KingHost, Locaweb e Uol Host.

Independente de sua escolha, o seu site sempre irá correr o risco de ficar fora do ar por alguns instantes. Mas você pode diminuir esse risco contratando um servidor dedicado (quando você tem um CPU exclusivo para o seu site). No mais, a grande diferença entre eles está no atendimento prestado e na disponibilização de informações sobre o servidor (wiki), que pode facilitar muito a vida de quem está fazendo o seu site. Então, na hora de contratar algum serviço, converse com o seu desenvolvedor primeiro e leve em conta o que ele disser.

Agora que você já está pronto para começar (e até sabe quais vão ser as suas funções), é preciso entender que um site é feito em estágios. Contando a partir da primeira reunião entre a sua empresa e uma agência digital, estima-se que um site pode demorar entre 30 e 60 dias para entrar no ar, e passa por seis etapas:

1. Definições

Já na primeira reunião, serão definidas as funcionalidades e a estrutura que o site deverá ter, com base nos objetivos e intenções da sua empresa. Ou seja, a partir daquilo que for conversado, vamos definir se o seu site será single page, portal, se terá espaço para atualização de conteúdo, área de destaque, etc.

Exemplo de wireframe
2. Wireframe

Depois de coletar todas essas informações, é feito o wireframe (ou esboço) do site. Ele servirá para dar uma ideia geral de como ficará o site depois de pronto.

3. Layout

Com o wireframe aprovado, começamos a criar o layout do site.

4. Desenvolvimento:

Uma vez com o layout pronto, começamos a aplicar as funcionalidades no site. Essa etapa é divida em desenvolvimento front-end e back-end. O front-end servirá para “dar vida” ao layout através de efeitos (como quando passamos o cursos do mouse por cima de uma palavra com link, e ela muda de cor). Já o back-end é quando cadastramos as informações de um site no servidor, como texto e imagem.

5. Teste:

Quando terminamos a etapa de desenvolvimento, é necessário que o site, e todas as suas funcionalidades, sejam testadas. É nesse momento que os textos que você passar para a agência serão incluídos no site, que foi feito até aqui apenas com marcações.

6. Publicação:

Depois do teste, falta apenas a sua aprovação para o site ir para ar.

Um site está exposto para o mundo inteiro, então sempre existem chances dele ser invadido por hackers e tirado do ar. Todos os sites estão sujeitos à invasão. Entre janeiro e julho de 2013, por exemplo, o Governo brasileiro havia sido hackeado 67 vezes. Até mesmo o site da NASA – agência espacial americana – foi invadido por hackers brasileiros.

Site da NASA foi invadiado por hackers brasileiros

Site da NASA foi invadiado por hackers brasileiros

Outro problema, esse bem mais comum, é a queda do servidor onde o seu site está hospedado, mas isso é geralmente corrigido sem muita demora.

E por último, assim como tudo, um site também envelhece. O layout e as funcionalidades ficam ultrapassados, novos navegadores são lançados e a forma como o código do seu site era lido muda e, por isso, acabam se desconfigurando. Pense naqueles sites dos anos 90, com gifs animados e um monte de menus. Fazer um site desses, hoje, é inimaginável. Então tenha sempre em mente que, em algum momento, será necessário remodelar ou criar um site novo para a sua empresa.

O “gráfico banheira”, abaixo, indica os momentos em que os erros mais aparecem. O grande número no início do gráfico, normalmente são encontrados na fase de testes, como comentamos anteriormente. A segunda fase de erros se dá quando o site começa a se aproximar ao fim de sua vida útil.

Gráfico banheira de falhas em um site

Agora que o seu site está pronto, é bom começar a divulgá-lo! Mas falamos sobre isso no próximo post!