dicas de posicionamento de marca

Esta é uma carta de Paulo e aborda, sobretudo, dicas de posicionamento de marca. Paulo é diretor de uma microempresa que vende brigadeiros, sobremesas e doces em geral.

 

 

Fixado em um mercado que está em expansão, ele sabe que qualquer erro de posicionamento implica em perdas irreparáveis para a imagem da marca, principalmente na internet, onde tudo pode tomar proporções sem tamanho em questão de horas.

As dicas de posicionamento de marca que Paulo dá são baseadas em sua própria vivência.    

 

Leia as seis dicas de posicionamento de marca de Paulo:      

Não trabalhava minha marca

(Oh, shit!)

Eu não fazia a menor ideia de que, se meu objetivo era me tornar uma referência na minha área, eu precisava trabalhar minha marca perante meu público, meu conceito, me tornar conhecido e fazer a audiência aliar aquela marca ao meu serviço.

Entre todas as dicas de posicionamento de marca que eu poderia dar, esta é a que merece mais atenção.        

 

Não contava com múltiplos canais de comunicação

Para posicionar sua marca na internet, você precisa realizar um estudo de público.

É a partir dele que você vai elaborar o planejamento, que definirá quais mídias se encaixam melhor no cotidiano do seu consumidor, qual a linguagem que você vai adotar para se comunicar com ele e todos estes parâmetros de comunicação.

Apenas a partir do estudo, você poder traçar a estratégia mais adequada para sua empresa, cujo segredo do sucesso está na diversificação de canais.         

 

Investi em propaganda intrusiva

O consumidor de hoje não tem mais paciência para esse tipo de propaganda que decide em que momento anunciar e, para entender melhor as dicas de posicionamento de marca, você tem que ter isso muito claro.

Hoje há autonomia e a decisão de quando e como consumir conteúdo publicitário é do próprio comprador.

Então, investi no marketing não-invasivo e em técnicas de publicidade que são voltadas para a gentileza: oferecer informação e serviço sem pedir nada em troca por isso.   

 

Criei um perfil no Facebook para minha empresa

Algumas empresas não entendem a lógica das redes sociais.

Eu, por exemplo, não mantinha uma página no Facebook, eu tinha um perfil.

Eu nem sabia com qual público eu estava dialogando, não sabia que era possível acompanhar métricas.

Disso é que se originou meu conselho mais valioso: não caiam na armadilha de achar que qualquer jovem da família dá conta de cuidar das redes de sua empresa, pois este é um trabalho profissional.

Aliás, você pode ver uma comparação entre a estratégia feita por uma agência especializada e uma comunicação feita em casa AQUI.     

 

Usava o Facebook para anunciar preço

Erro fatal de estratégia: eu não usava as mídias de engajamento para engajar, eu usava para anunciar.

Isso fez minha página ser massivamente ignorada pelos meus clientes em potencial.

Os usuários que estão nas redes sociais não querem ver preço de nada, eles querem se relacionar com a sua marca: ler elementos de identificação, criar afinidade com ela.

Uma das principais dicas de posicionamento de marca para você levar para a vida: o Facebook serve para atrair fãs para a identidade da marca, não é um folheto de promoções.    

 

Ignorava comentários negativos

Por último (e não menos importante), responda todo e qualquer feedback que tiver sobre seu produto ou serviço.

Em algum momento, não sei por qual razão, tentamos ignorar uma reclamação de um cliente.

Ele se tornou um viral e só depois de contratar uma assessoria para mediação de conflito de imagem é que encontramos a solução ideal para o problema que isso nos causou.   

 

Quer ter um bom serviço de comunicação com estratégia de Inbound Marketing completa, desenvolvimento web e suporte integral? Clique AQUI para saber como.