Já faz algum tempo que a expressão Experiência de Usuário passou a fazer parte do ambiente digital e conforme o mercado amadurece a área vai ganhando mais e mais espaço entre desenvolvedores de produtos digitais.

Em resumo, UX (do inglês, User Experience) se ocupa de cuidar dos pontos de contato entre os usuários e as plataformas, apps e sites que usa ou nos quais navega.

Oferecer uma Experiência de Usuário coesa e agradável passa por diversos aspectos que precisam de atenção durante o processo de desenvolvimento. Desde o sitemap, passando pelos wireframes, frontend e, em última instância, nas interações e feedbacks que o usuário recebe na versão final do produto ou serviço.

Frontend, sitemap e wireframes: algumas etapas do User Experience

Aqui na Big House, onde desenvolvemos soluções e produtos digitais há mais de 5 anos, nosso processo foi sendo aperfeiçoado por dezenas de projetos e pesquisas realizadas tanto com nossos clientes quanto com usuários.

Assim, conseguimos estabelecer ao menos 5 pontos principais que precisam de atenção e impactam diretamente a experiência final. Mas quais são esses erros?

5 principais erros de User Experience que você NÃO DEVE cometer nunca

Erro 1: Não usar CTAs (call-to-action) claros e objetivos

CTAs são ingredientes chave para quaisquer campanhas de marketing, sites de vendas ou projetos que busquem incentivar ações por parte da audiência. Cada CTA existe para cumprir uma função específica na interface planejada e tem como objetivo principal fazer com que o visitante siga na navegação.

Para não errar, a dica é: é importante destacá-los com a devida relevância na interface (experimente cores, tamanhos e famílias tipográficas), posicioná-los juntos ao conteúdo principal e que sejam claros

Erro 2: Não equilibrar a Quantidade de informações X Totalidade das informações

Este é um ponto importantíssimo e muitas vezes negligenciado. Usuários odeiam sobrecarga de informações. É essencial projetar a experiência do usuário de forma com que ele receba apenas as informações essenciais que ele busca.

A dica é: quebre os conteúdos em Essencial, Aprofundado e Completo. Pense em utilizar apenas o conteúdo essencial na página inicial, o aprofundado na página do produto ou serviço e o completo apenas em páginas de fundo para usuários que já estão mais avançados.

Você já pensou se o seu website oferece formas fáceis e simplificadas de encontrar os conteúdos que interessam?

Erro 3: Encontrabilidade – Não oferecer formas fáceis de encontrar os conteúdos

Encontrabilidade é um dos 7 fatores que influenciam a experiência dos usuários. Basicamente, é a ideia de oferecer formas simples e intuitivas para que o usuário consiga buscar e encontrar o que procura ao visitar o site.

A dica é: sempre, S-E-M-P-R-E ofereça uma opção de busca no site. Escolha ter na home as macrocategorias mais procuradas pelos seus usuários (Google Analytics está aí para isso) e, no caso de e-commerce, nunca se esqueça de oferecer filtros apropriados para cada categoria de produto.

Abaixo, a pior coisa que pode acontecer com o visitante do seu site.

Animações são sempre bem-vinda no mundo do User Experience design

Erro 4: Não usar Animações

Uma regra absoluta de como nós, humanos, funcionamos: nossos olhos são atraídos por movimento e, ao percebê-lo, passamos a dar atenção. Por essa razão, é cada vez mais comum interfaces com elementos que se movem.

Evidente que animações podem parecer apenas recursos para deixar a interface mais bonita. Entretanto, quando utilizados a partir do olhar de UX e UI, elas cumprem papel fundamental na experiência dos visitantes.

A dica é: escolha um padrão de animações, selecione os principais pontos de atenção (que você deseja que o usuário perceba) e teste com diferentes movimentos, além de velocidade, direção, tamanho, cores.

Quem nunca ficou se perguntando se a compra ou a solicitação feita foi, de fato, recebida pelo site?

Erro 5: Não oferecer Feedbacks instantâneos

Nada é mais frustrante para um usuário do que realizar uma ação e não saber se ela foi reconhecida e executada. Com o tempo os padrões de usabilidade foram muito elevados por parte dos designers e isso fez com que os usuários também tenham elevado seus critérios.

Resumindo: feedbacks ajudam as pessoas a entender o que o site ou app está fazendo, apresentam o que o usuário pode – ou deve – fazer na sequência e são essenciais para que tenham confiança nos resultados das suas ações.

A dica é: sempre que algo está acontecendo, o usuário precisa ser capaz de perceber. Barras de carregamento, animações de loading, mudanças de cores… mais importante do que o tipo de recurso utilizado é ser claro e instantâneo o suficiente para que ele não fique perdido.

Esse post foi escrito por PH Martins, que é UX designer na Big House. Você pode contatá-lo pelo e-mail philipe.bhw@gmail.com


A Big House é uma agência digital que transforma boas ideias em resultado. Atuando com Marketing Digital e desenvolvimento web desde 2011, somos uma equipe multidisciplinar certificada em Inbound Marketing focado nas melhores estratégias digitais. Entre com contato conosco pelas nossas redes, leia o conteúdo no Blog da Big House ou acesse nosso site para conhecer a Big.