Futuro do marketing digital: como a inteligência artificial vai impactar o dia a dia da área?

Quando olhamos para o futuro do marketing digital, pensamos num cenário parecido com os filmes cyberpunk estilo Blade Runner: mil propagandas digitais interativas, coloridas e cheias de luzes em arranha-céus gigantescos. 

Porém, o futuro do marketing digital tem se mostrado bem mais discreto. Desde o investimento em redes neurais ao desenvolvimento de chatbots mais amigáveis e novas opções de linguagem de programação, o futuro está mais perto do que imaginamos. 

Mas o que tudo isso tem a ver com marketing digital? 

Futuro do marketing digital: nessa história, onde a inteligência artificial se encaixa? 

De forma bem simples, podemos definir a IA como uma forma de fazer as máquinas “pensarem” como os humanos. Sendo assim, elas acabam resolvendo problemas e realizando tarefas da mesma forma que nós faríamos – ou, pelo menos, de maneira similar. 

Por conta disso, ela otimiza e facilita inúmeras atividades que, até então, levavam muito tempo para serem realizadas por um profissional comum. E no marketing não é diferente. Por exemplo:

Automação de tarefas:

Um dos grandes benefícios que a inteligência artificial traz é a automação de tarefas de forma eficiente e escalável. Quanto mais automatizado o trabalho, mais tempo os profissionais terão para trabalhar em melhorias que tornem o negócio mais rentável e bem estruturado.

Isso vai desde tarefas simples, até atividades mais complicadas que exigiriam toda a atenção de um colaborador dedicado.

Otimização de resultados:

A partir do momento em que parte do trabalho é automatizado, o tempo gasto para realizar as atividades é menor. Assim, além de maior produtividade, isso também significa menos erros;

Satisfação dos clientes:

Uma das principais utilidades da IA no marketing digital tem sido aumentar a satisfação dos clientes com relação a suas marcas favoritas.

Seja por oferecer um atendimento mais rápido e personalizado (chatbots), evitar e resolver problemas de forma mais ágil ou aplicar técnicas de fidelização. O sucesso do cliente dentro do marketing digital tende a ser bastante impactado pelas tecnologias de IA. 

E quais surpresas o futuro nos aguarda? 

Empresas gigantes do mundo da comunicação e do marketing estão investindo cada vez mais no desenvolvimento da IA. Por meio do Desafio de Impacto de Inteligência Artificial, o Google se dispôs a investir US$ 25 milhões em projetos da área. 

Além disso, a Microsoft também já investiu US$ 1 bilhão em inteligência artificial. E as somas não param por aí…

A Samsung está pronta para desembolsar 20 bilhões de dólares para pesquisas na área. O Facebook também está de olho no campo da IA: em 2017, a empresa de Zuckerberg contratou a especialista em inteligência artificial, Joelle Pineau, para comandar seus laboratórios. 

Essa corrida pelo futuro só faz com que nossas expectativas aumentem. Apesar das previsões feitas por estudiosos e acadêmicos, certamente as descobertas em IA vão surpreender em algum ponto. 

Algumas delas podemos apostar em ver num futuro próximo: 

Máquinas cada vez mais inteligentes

Num futuro próximo, podemos apostar em máquinas que aprendem cada vez mais rápido e com menor necessidade de programações complicadas. Por trás desse desenvolvimento estão alguns dos principais métodos de funcionamento da IA:

  • O machine learning, que permite que a máquina aprenda sozinha, sem a necessidade de que suas ações sejam programadas com antecedência; 
  • As redes neurais artificiais, que permitem que o sistema adquira conhecimento através da experiência – assim como nós, humanos, que melhoramos conforme o tempo de prática e treinamento. 

Um exemplo desse crescente desenvolvimento e seu uso no marketing é o primeiro anúncio concebido em IA do mundo, criado pela agência M&C Saatchi, em Londres. Ele é um pôster para uma marca fictícia de café que mistura texto, imagem, fontes e cores. 

Primeiro anúncio feito com IA, em Londres, no ano de 2015
Imagem: bluebus

Nele, está embutida uma câmera que consegue captar as reações humanas à peça. Dessa forma, ela identifica qual combinação tende performar melhor para cada tipo de pessoa. 

Já imaginou poder montar todos os seus anúncios com essa garantia de performance? 

Uso mais frequente da IA nas interações com o consumidor 

O uso de chatbots não é novidade no marketing digital. Esses assistentes virtuais caíram no gosto das principais marcas e empresas pois tornam o atendimento ao cliente mais otimizado e escalável – sem deixar a personalização de lado. 

Exemplo de chatbots interagindo com usuários nas redes sociais
Imagem: Yodlee

A tendência é que o uso da IA seja ainda mais frequente no contato direto com o consumidor, e de formas muito mais avançadas que as atuais. Ou seja: espere chatbots mais ativos e com uma linguagem muito mais natural. 

IA e o impacto no futuro do marketing digital 

A IA permitirá que gestores de marketing criem projetos de alta performance. Como exemplo, podemos citar o aumento da eficácia em mídia programática, SEO e target advertising

Os consumidores, por sua vez, poderão se valer de assistentes virtuais como conselheiros em decisões de compra. Essa interação poderá ser feita com sistemas cognitivos, via smartphones, wearables ou qualquer outro dispositivo via IoT – ou Internet Of Things (Internet das Coisas). 

No entanto, as coisas não mudarão sozinhas. No marketing, é necessário pensar em adaptar as conversas e os planejamentos levando em consideração essa realidade. 

Uma discussão sobre o futuro da IA: dica cinematográfica

Do You Trust This Computer? (2018, Chris Paine) é um documentário norte-americano que reflete sobre os benefícios e os malefícios do uso da inteligência artificial. 

Na obra, é possível ver os depoimentos de grandes nomes da indústria de tecnologia, como Elon Musk (SpaceX e Tesla Motors), Ray Kurzweil (pioneiro do reconhecimento ótico de caracteres e síntese de voz) e Jonathan Nolan (produtor executivo da série de televisão Westworld). Vale a pena conferir. 

O que você pensa sobre a influência da IA no futuro do marketing digital? 

Você acredita que as agências de marketing digital e seus clientes estão preparados para essa transformação?