realidade virtual

Você ainda não sabe o que é o #BigTalks? Aqui nós definimos o #BigTalks como conversas despretensiosas sobre assuntos nem tão despretensiosos assim. Pelo contrário, assuntos que estão tomando cada vez mais espaço no mercado.

Nossa proposta é simples: uma vez por mês abrimos as portas – ouvidos, cabeça e coração – para ouvir alguém que queira compartilhar seu conhecimento com a nossa super equipe – e com quem vier de fora conhecer a nossa Big House.

Quem nós recebemos desta vez?

realidade virtual

Guilherme, em pé, dando sua aula sobre realidade virtual ao lado do nosso diretor de criação e CEO, Fernando.

O Guilherme Resende, Mestre em Design pela UFRGS e doutorando, professor da ESPM e pesquisador de interfaces gráficas e digitalização 3D. Ele veio dar uma baita aula sobre realidade virtual e tecnologia.

Basicamente, nossa talk tratou de NUI, ou Natural User Interfaces…

Você conhecia? Pois é, nem a gente… rs. Muito prazer, então!

5 coisas que aprendemos sobre tecnologia e interfaces com o #BigTalks

 

1 – Tecnologia de ponta nem tão de ponta assim

Foi surpreendente perceber que a maior parte da tecnologia que consideramos de ponta não é tão de ponta assim… Ou seja, essas tecnologias começaram a ser desenvolvidas há décadas e só agora vemos o resultado chegando nas mãos das pessoas.

2 – Realidade virtual e touch screen são resultados de pesquisas que começaram há 50 anos atrás

As duas tecnologias são resultados de pesquisas de muito tempo. Claro, ambas não começaram com o propósito que conhecemos hoje, como você deve imaginar… Mas as exigências de mercado e os critérios da obsolescência programada resultaram nestas duas maravilhas!  

3 – O potencial da realidade virtual

A realidade virtual permite interações cada vez mais naturais. Ela replica a forma como nos relacionamos no mundo físico e, assim, permite as mais diversas formas de interação – muito além de games e ficção!

4 – Realidade virtual e inclusão digital: duas peças do mesmo quebra-cabeça

A realidade virtual não veio para deixar tudo mais confuso… Pelo contrário! Ao replicar nossa linguagem corporal, ela contribui para que tudo se torne mais acessível. Em outras palavras: qualquer um pode usar da realidade virtual!

5 – Uma tecnologia não elimina a outra

Chega disso, pessoal! Nós já entendemos que uma tecnologia não elimina outra. Coisas do tipo “a TV vai acabar com o cinema e a internet vai acabar com o jornal impresso!” ou então  “o ebook vai matar o livro” são coisas que não acontecem. Há espaço para todos no fabuloso mundo da tecnologia.

Foto: divulgação


A Big House é uma agência digital que transforma boas ideias em resultado. Atuando com Marketing Digital e desenvolvimento web desde 2011, somos uma equipe multidisciplinar certificada em Inbound Marketing focado nas melhores estratégias digitais. Entre com contato conosco pelas nossas redes, leia o conteúdo no Blog da Big House ou acesse nosso site para conhecer a Big.